Rinoplastia  Secundária

Uma rinoplastia secundária é uma cirurgia nasal corretiva que serve para alterar a forma e / ou função do nariz após uma rinoplastia prévia, indicado para deformidades cosméticas ou funcionais não tratadas adequadamente ou agravadas pela operação primária. Alguns também se referem à rinoplastia secundária como “rinoplastia de revisão”. Essa terminologia mais ampla pode ser aplicada à rinoplastia exigida além de uma operação secundária, como uma terceira ou quarta operação.

 

Os pacientes solicitam a rinoplastia secundária para tratar desequilíbrios específicos que persistem, são recém-criados ou se tornaram mais graves. Muitas vezes o nariz está desequilibrado ou em desarmonia com o resto das características faciais devido a uma complicação inesperada ou manobras cirúrgicas incompletas. Uma rinoplastia secundária é frequentemente muito mais complicada do que uma rinopastia primária. A primeira vez na rinoplastia é sempre o melhor momento para abordar todos os problemas nasais estéticos e funcionais, no entanto, com a aplicação adequada de técnicas avançadas por um especialista em rinoplastia, os procedimentos secundários podem ser bem sucedidos. É claro que, assim como na rinoplastia primária, suas expectativas e metas precisam ser apropriadas e cuidadosamente discutidas em consulta. Pode ser útil trazer fotos de sua aparência nasal antes de sua operação anterior. 

 

Problemas comuns que requerem rinoplastia secundária:

 

  • Obstrução das vias aéreas nasais

 

  • Colapso da cartilagem ou ossos nasais

 

  • Aparência cosmética artificial ao nariz (“nariz exagerado”)

 

  • Colapso da válvula nasal interna e externa

  • Redução excessiva ou redução inadequada da altura do dorso nasal

 

  • Projeção de ponta excessiva ou inadequada

 

As mudanças necessárias na rinoplastia secundária podem ser feitas através de uma abordagem “fechada” ou “aberta”. Normalmente, se houver grandes mudanças estruturais necessárias, a abordagem aberta pode ser a preferida.

 

Enxertos de cartilagem (porções de cartilagem do septo, orelha ou costela) são frequentemente necessários para realizar os objetivos estéticos e funcionais na rinoplastia secundária. É muito comum que o procedimento primário tenha esgotado grande parte da cartilagem nasal. A falta de cartilagem septal é a indicação mais comum para a necessidade de fontes de cartilagem de orelha ou costela para material de enxerto. Esses segmentos da cartilagem são então moldados em peças estruturais e modeladoras para uso no nariz.

entre em contato

e tire todas suas dúvidas

Obrigado! Mensagem enviada.